Mais de 1100 hectares de terreno e uma tradição agrícola e vitivinícola, que ascende já a 200 anos, caracterizam esta propriedade que, desde 1775, se mantém na família Cruz Sobral. Pioneira em inovação tecnológica no Ribatejo, a quinta situada a poucos quilómetros de Almeirim acaba de sofrer nova remodelação na sua adega de 1817 (a primeira a vapor da região), uma aposta pela qualidade que sempre marcou a sua produção.

Na margem esquerda do rio Tejo, as vinhas que hoje ocupam 140 hectares e possuem uma idade média de 30 anos beneficiam do terroir franco-arenoso, compondo-se sobretudo por típicas castas portuguesas: Fernão Pires, Castelão, Trincadeira e Touriga Nacional. Syrah, Merlot, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Alicante Bouchet foram as castas estrangeiras recentemente introduzidas, completando a área de exploração vitivinícola.

Num sector tão competitivo e em constante expansão, só uma cuidada vinificação e um controlo permanente de qualidade, efectuados por uma jovem equipa especializada, permite alcançar o reconhecimento já obtido pelos vinhos Falcoaria, Capucho, Terra de Lobos, Quinta do Casal Branco e Espumante Monge.